quarta-feira, 25 de maio de 2016

Repost: Cólica é sempre igual?

Tema que preocupa e sempre preocupará os pais de recém-nascidos, né?

Post de 19/05/2015

Parece uma pergunta boba, né? Mas não é!! Muitas vezes, a criança pode estar apenas com umincômodo e vocês estão tratando com o que seria necessário para uma cólica. Ou vice-versa.....olhem só que bacana esse resumo que uma leitora me enviou pelo Face essa semana:

Cólica do primeiro trimestre: 
– Dor, choro inconsolável
– Flexão do corpo
– Tem hora marcada
– Não melhora com nada
– Melhora aos 3 meses
– Sem relação com eliminação (pum, cocô)

Desconforto de retenção:
– Criança mais resmunga do que chora
– Melhora com eliminação (pum, cocô)
– Não tem hora marcada
– Melhora aos 3 meses
– Está, na maioria das vezes, relacionada à distensão abdominal (abdome inchado, brilhante)

Azia: 
– Mais irritabilidade que choro
– Estica o corpo para trás
– Dor ou desconforto ao deitar
– Melhora mamando ou ficando na vertical
– Relacionada a soluços, regurgitações, náuseas, vômitos, salivação excessiva
– Pode estar relacionada a refluxo

Reflexo Gastro-cólico: 
– Dor quando mama
– Afasta a cabeça quando mama (como se quisesse tirar o peito ou a mamadeira da boca)
– Melhora com interrupção da mamada
– Resulta em evacuação ou flatulência durante a mamada

Viram só? Importante isso, né? Sabendo diferenciar, fica mais fácil tratar e falar com o Pediatra.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Eu sei

Não sei quem escreveu esse texto, mas ele é muito verdadeiro!

Sim, eu sei!

Eu sei que você acha que podia ter feito mais.
Eu sei que você acha que devia ter tido mais paciência.
Eu sei que você acha que devia brincar mais com eles.
Eu sei que você acha que não dá conta.
Eu sei que você acha que erra demais.
Eu sei que você está cansada.
Eu sei que você sente falta de muitas coisas da época em que não era mãe... E se sente culpada por isso.
Eu sei que você quer sempre dar o seu melhor.
Eu sei que você coloca todo mundo antes de você mesma.

EU SEI!
Mas também sei, tenho certeza de que, se alguém perguntar para os seus filhos: o que você acha da sua mãe? A resposta será: ELA É A MELHOR MÃE DO MUNDO. ELA ME AMA MUITO. ELA ESTÁ SEMPRE DO MEU LADO. ELA SEMPRE SABE DO QUE EU PRECISO.......

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Cuidados com a casa

Fazia tempo que eu não postava algo referente à casa, né? Pois essa dica me pegou de surpresa....e negativamente: sempre usei a linha Pratice, da BomBril para a limpeza dos vidros e espelhos de casa.

Dia desses, resolvi experimentar um produto novo, que oferecia todas as vantagens do que eu uso, mas prometia uma secagem rápida....achei que isso seria vantagem, mas não foi não. Não sei se é por conta da secagem, mas o produto deixou tudo manchado. Mesmo passando um pano depois de usar....achei péssimo.

Tentei por quase 30 dias, variando a forma de aplicar (usei pano de prato, flanela, paninho multi-uso, papel-toalha)...nada funcionou.

Acabei voltando para o que sempre usei, que é o 3 em 1 (sem a secagem rápida). Esse eu garanto! É excelente e deixa um cheirinho delicioso! Recomendo....

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Óculos de Mãe

Esse vídeo já é antigo, mas sempre será importante e atual, porque "é como se Deus tivesse dado às mães uma maneira especial de olhar para as coisas".


quinta-feira, 19 de maio de 2016

Conversa de adulto também é pra criança

Achei esse texto MUITO bacana e importante pra nós, pais e mães:

Que atire a primeira pedra a mãe que nunca falou: “isso é conversa de adulto”, quando o filho questionou sobre algo polêmico ou delicado. Não condeno essa típica frase, até porque realmente acredito que as crianças podem ser poupadas de alguns diálogos. Porém, acho importante avaliarmos se não estamos usando a desculpa da “conversa de adulto” apenas como uma válvula de escape para não falar sobre assuntos sérios.

Nós precisamos conversar sobre política, bullying, educação, sexo, trabalho e muito mais com crianças. A princípio, isso pode parecer um choque, já que a sociedade não está acostumada a tocar nesses assuntos desde a infância. Mas a verdade é que se trata muito mais sobre como você vai falar do que sobre o que será discutido.

É evidente que você não vai detalhar a complexidade política que vive o país com seu filho de 5 anos, por exemplo. Mas ao explicar que algumas coisas são de todos (públicas) e outras pertencem a alguém (privadas) já estamos falando sobre política. Esse é apenas um exemplo de como podemos simplificar temas que são extremamente importantes de serem introduzidos ainda na infância.

Se mesmo assim você não consegue trazer os temas delicados para o mundo das crianças, vale à pena recorrer a outras possibilidades. A tecnologia pode ser uma ótima aliada nesse sentido: temos aplicativos, desenhos, filmes, jogos e outras plataformas que têm um viés socioeducativo e uma linguagem acessível para crianças. É importante acompanhá-los nessas atividades e verificar que tipo de conteúdo eles têm consumido.

É verdade que é muito mais fácil negligenciar os assuntos polêmicos e postergar ao máximo o momento de falar sobre eles. Mas, dependendo do caso, isso pode gerar consequências sérias às crianças. Por exemplo, é muito mais saudável que elas aprendam com você o que é bullying, ao invés de só entender a gravidade do problema depois de praticar ou sofrer na pele.

Além de evitar futuros desconfortos, conversar sobre tudo com seus filhos só traz benefícios. Certamente você ganhará ainda mais a confiança deles, pois, se vocês está aberta a falar sobre assuntos sérios, eles também estarão dispostos a contar seus problemas. Por fim, tendo contato desde cedo com questões relevantes, é natural que a criança amadureça mais rápido e se torne alguém muito mais consciente.

Não é uma tarefa fácil e o caminho mais simples é deixar a “conversa de adulto” para depois. É difícil apontar o certo e o errado nessa história toda, assim como não existe uma fórmula mágica para tocar em temas delicados. O mais importante é fazer uma reflexão na família e verificar se o que você deixa de contar ao seu filho não pode prejudicá-lo no futuro.

Por Fabiany Lima
(mãe de gêmeas, escritora de livros infantis e criadora o aplicativo Timokids)

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Repost: O que ter sempre a mão na hora de amamentar

Post de 29/06/2015

Até hoje, recebo muitas dúvidas sobre esse tema:

*******

Mais uma pergunta que recebo bastante das leitoras grávidas por email e pelas redes sociais: Na hora de amamentar, o que é bom ter à mão pra facilitar a vida da mãe?

Fiz uma lista baseada na minha experiência e, também, na experiência das minhas clientes...

Almofada: ela aumenta MUITO o conforto das costas e dos braços. Na falta dela, vale a pena usar um travesseiro, uma almofada da casa ou sentar em uma poltrona ou sofá de braço alto. O importante é ter onde apoiar o braço, do contrário você ficará com bastante dor nas costas e nos ombros.

Água: amamentar dá MUUUUITA sede, pois é durante a amamentação que o organismo produz a maior parte do leite. Tenha uma garrafinha (ou mais) sempre ao seu lado (copo costuma não ser o suficiente).

Paninho de boca: caso o bebê devolva o leite, ter um paninho por perto ajuda bastante na hora de limpar, pois eles têm o poder se sujar tudo....rsrsrs....a roupa deles, a sua, a poltrona, a almofada, etc....

Caderno ou celular com app de amamentação: pra anotar qual foi a última mama que o bebê mamou (na próxima mamada, você começa pela outra), quanto tempo durou e a que horas foi a mamada. O celular também ajuda bastante a passar o tempo quando o baby demora pra mamar (até os 3 meses, o lindão ficava 45 minutos mamando....eu me atualizava nas redes sociais enquanto isso...rsrsrsrs)

Tesourinha: enquanto mama, o bebê fica bem sonolento e calmo...esse pode ser o momento ideal para cortar as unhas dele. Se você não conseguir, peça para outra pessoa fazer.

Um lanchinho: muitas mulheres sentem uma fome doida enquanto amamentam. Ter um lanchinho à mão ajuda muito nessas horas. As adeptas da Livre Demanda, sempre comentam que encontram na hora da mamada um momento precioso pra conseguirem, enfim, comer!

terça-feira, 17 de maio de 2016

Os desenhos do Bita que me ajudam

No post de hoje, vou contar pra vocês as pequenas vitórias que certos vídeos do Bita estão nos dando aqui em casa. Comecei meio que por acaso, colocando a música de escovar os dentes minutos antes de pegar a escova.....como percebi que dava certo, passei a ampliar o leque.

Todo mundo é muito musical aqui em casa, e o lindão ganhou essa característica também, o que ajuda muuuuuito no sucesso dessa tática. Vou postar o vídeo e, logo abaixo de cada um, a descrição de como usamos, ok?

Pra ver os vídeos, é só clicar nas imagens....

O lindão sempre reclamava na hora de trocar de roupa ao acordar, mas depois que passou a ver esse vídeo, troca de roupa feliz da vida....e dançando - rsrsrsrs

De vez em quando, parar a brincadeira pra tomar banho gera AQUELE chororô, mas é só mostrar esse vídeo pra ele que tudo se acalma e ele vai para o banheiro sem reclamar.

Quando a coisa empaca na mesa de refeição, esse vídeo me ajuda demais! Ele vê os "amiguinhos" comendo no desenho e se empolga.

**O vídeo que MAIS ME AJUDA é o de Escovar os Dentes, mas estou procurando há dias e não encontro pra publicar o link aqui pra vocês. Eu tenho porque faz parte do DVD "Bita e o Nosso Dia".